MEIS (Espanha): Absides escalonadas do Mosteiro de Armenteira (1168).

MEIS (Espanha): Absides escalonadas do Mosteiro de Armenteira (1168).

A cabeceira é de proporções monumentais formada por três absides escalonadas. O grande tamanho das absides, em silharia granítica, oferecem um aspeto maciço e quase de caráter militar. As habituais colunas foram aqui substituídas por robustos contrafortes e as frestas não possuem colunas nem molduras. A cachorrada é também muito simples.

MEIS (Espanha): Portal do Mosteiro de Armenteira.

MEIS (Espanha): Portal do Mosteiro de Armenteira.

O Mosteiro de Armenteira é um dos melhores expoentes do românico galego, ainda que o passar dos séculos tenha inevitavelmnete deixado marcas de diferentes estilos arquitectónicos no edifício. Nas suas origens, o templo pertenceu à ordem de Cister e julga-se fundado por Ero de Armenteira em 1168. Na fachada, do século XII, destaca-se o portal rodeado por seis arquivoltas, apoiadas em colunas com capitéis decorados com motivos vegetalistas.

BAIONA (Espanha): Rosácea românica da igreja de Santa Maria.

BAIONA (Espanha): Rosácea românica da igreja de Santa Maria.

Os vitrais da rosácea são já de um período muito mais recente. Destaque para a caravela “Pinta”, o primeiro dos barcos de Cristóvão Colombo, capitaneada por Martín Alonso Pinzón, a regressar à Europa.

BAIONA (Espanha): Interior da Igreja de Santa Maria de Baiona.

BAIONA (Espanha): Interior da Igreja de Santa Maria de Baiona.

Apesar de ter sido erguida na segunda metade do século XII, foi quase totalmente reconstruída no século XIV, daí que aquilo que apreciamos hoje é um estilo românico de transição ou românico-ogival com influências cistercienses, já que foram os monges cistercienses do mosteiro de Oia que terminaram a sua construção. A sua planta é basilical em cruz latina, com três naves que rematam em três absides. O altar-mor é barroco (1726), obra de Antón del Villar.

BAIONA (Espanha): Igreja de Santa Maria de Baiona.

BAIONA (Espanha): Igreja de Santa Maria de Baiona.

De aspecto fortificado e estilo românico de transição, a Igreja de Santa María de Baiona construiu-se no século XIII e foi considerada Colegiata desde 1482 a 1850.
Está dividida em três naves, com os seus correspondentes pórticos rectangulares. A nave principal lembra o estilo cisterciense do mosteiro de Santa María de Oia. Dois pilares envolvem a porta da fachada, formada por três pares de colunas, tímpano liso e espirais. As janelas são românicas e possui na fachada uma bonita rosácea românica. Em 1841 deslocaram para o átrio vários cruzeiros de diferentes estilos dispersos pelas ruas da vila.

TUI (Espanha): Claustro da Catedral.

TUI (Espanha): Claustro da Catedral.

O claustro da catedral de Tui foi construído na segunda metade do século XIII, em estilo gótico cisterciense. É o único medieval que resta nas catedrais galegas. Foi restaurado em 1408 devido ao perigo de ruína num dos muros, altura em que se integraram novos elementos góticos e se iniciou a construção das torres defensivas que deu o carácter de fortaleza a este templo.

Vista parcial do claustro da catedral de Tui

Vista parcial do claustro da catedral de Tui

TUI (Espanha): Tirantes na catedral de Tui.

TUI (Espanha): Tirantes na catedral de Tui.

A pesada estrutura granítica da Catedral esmaga-nos, tanto mais que algo nos desconcerta ao identificarmos claramente o estilo românico – à semelhança de Santiago de Compostela, mas de uma dimensão mais próxima de uma Sé Velha ou Sta. Cruz de Coimbra – com um remate de abóbada claramente gótico. Como a estrutura original não estava concebida para tamanhas alturas, rapidamente se improvisaram soluções para estabilizar o edifício que ameaçava ruir com o peso da abóbada. À falta dos arcobotantes típicos do gótico, utilizaram-se uns tirantes entre os pilares que suportam a abóbada. Estes foram aplicados ao longo dos séculos, sendo o último do séc. XVIII.

TUI (Espanha): Timpano da catedral

TUI (Espanha): Timpano da catedral

Situado na fachada oeste, com iconografia de meados do século XIII. Tem oito pares de colunas com estátuas de São João, São Pedro, Isaías, Moisés, Daniel, Jeremias (ou talvez Berenguela) e Fernando I (ou Fernando II) e Urraca de Portugal.

No tímpano desta fachada podem ser contempladas as seguintes cenas:

* Adoração dos Pastores (num plano inferior).
* No centro, os Reis Magos levam presentes a Jesus.
* Representação da Jerusalém celeste.

Fonte: Wikipedia

TUI (Espanha): Catedral.

TUI (Espanha): Catedral.

A Catedral de Santa Maria de Tui está situada na cidade de Tui, na Galiza. A construção da catedral foi iniciada no século XI, em 1095, pois aparece mencionada nos documentos de doação aos condes de Borgonha, Raimundo e Urraca, e foi terminada em 1180, em plena época do estilo românico. Neste estilo conserva-se a planta, a portada norte e a iconografia dos capitéis. A sua influência estendeu-se a toda a região do Minho, galego e português, que se reflete nas inúmeras igrejas paroquiais e monacais. Também contém elementos de estilo gótico na fachada principal, datada aproximadamente de 1225, o que aponta para que esta seja a primeira construção de estilo gótico de toda a Península Ibérica.
A catedral é o máximo expoente do património artístico de Tui. Situa-se na parte mais alta da cidade, na coroa do antigo castro de Tide, que deve ter existido antes do início da era cristã.

Catedral de Santiago de Compostela

Santiago de Compostela (Espanha): Catedral

A catedral da cidade espanhola de Santiago de Compostela fundada no período medieval é conhecida por toda a Cristandade europeia como um local de peregrinação onde se encontra sepultado o apóstolo Santiago. Desde os tempos da sua fundação, antes do ano Mil, o santuário originou uma peregrinação anual mantida ainda nos nossos dias, em torno da visita das relíquias do apóstolo.
A sua fundação ter-se-á dado no século IX, embora o edifício românico só se tenha começado a construir no século XI(1075), tendo as obras sido prolongadas até ao século XII (1168). Registaram-se depois, nos séculos séculos XVI-XVIII, intervenções na igreja, daí a sua fachada barroca actual.
Com as torres barrocas gémeas elevando-se sobre a cidade, este monumento a Santiago é uma visão majestosa, digna de um dos maiores santuários da cristandade.

Subscribe to Arte Medieval