GUIMARÃES (Portugal): Castelo de Guimarães

GUIMARÃES (Portugal): Castelo de Guimarães

A construção primitiva, possivelmente em terra e madeira, foi edificada entre 959 e 968, pela condessa Mumadona viúva do conde Hermenegildo Mendes, para proteger o seu mosteiro e a povoação local das invasões normandas. Mais tarde, o conde D. Henrique remodelou o castelo, em cuja alcáçova terá nascido D. Afonso Henriques, 1º rei de Portugal.
Da história deste castelo fazem parte vários cercos, como o efectuado pelos castelhanos no reinado de D. Fernando I, suportado vitoriosamente pelos sitiados, e durante a crise de 1385, em que demorou a rendição desta praça a D. João I.
O castelo é constituído pela imponente Torre de Menagem, que atinge 27 metros de altura, construída no tempo do primeiro monarca, e por oito torres quadrangulares que no seu conjunto rodeiam aquela torre, protegem os panos de muralha e flanqueiam as entradas. A muralha ameada apresenta uma planta aproximadamente pentagonal. Parte destas obras deverão ser do tempo de D. Fernando.

Fonte: http://www.e-cultura.pt/

TOMAR (Portugal): Castelo de Tomar.

TOMAR (Portugal): Castelo de Tomar.

Situado sobre um cerro alto e escarpado na margem direita do rio Nabão, o castelo de Tomar foi fundado por D. Gualdim Pais, mestre dos Templários, em 1160, para defesa da vasta região então denominada Termo de Ceras, doada aos Cavaleiros do Templo por D. Afonso Henriques. Tomar tornou-se assim a sede da província portuguesa da Ordem do Templo, até à sua extinção em 1312 e, a partir de 1357, sede da Ordem de Cristo.
Com influências da mais avançada arquitetura militar da época, a partir da experiência adquirida pelos Templários na Terra Santa em construção de cidadelas fortificadas, o castelo integrou o sistema defensivo-ofensivo da Reconquista.

TOMAR (Portugal): Castelo de Tomar.

TOMAR (Portugal): Castelo de Tomar.

De acordo com esses preceitos de estratégia militar, o castelo desenvolveu-se em três recintos muralhados distintos que uma cintura de muralha envolvia, delimitando o seu perímetro exterior. Duas cortinas de muralha interiores atravessavam a grande cintura periférica, estruturando os três recintos do lugar acastelado, sendo que a maior dessas cortinas de muralhas ia das imediações da atual entrada para as “Capelas Incompletas” até junto da Torre de D. Catarina, e que hoje se encontra transformada no muro de suporte das terras que formam o terreiro do jardim. A segunda cortina interna de muralhas estendia-se desde a fachada Leste da Charola até à zona Sul da Alcáçova.
O núcleo primitivo, reduto dos Cavaleiros Templários, era constituído, pela Alcáçova, com a sua Torre de Menagem, onde se reutilizaram lápides romanas, e pela denominada Charola. Esta consistia num templo redondo que se tornou no núcleo irradiador do Convento de Cristo e que, pela sua localização e características construtivas (paredes duplas) era, no conjunto da cidadela, um local praticamente inexpugnável.

Fonte: e-cultura.pt

CHAVES (Portugal): Castelo de Chaves

CHAVES (Portugal): Castelo de Chaves

Do castelo medieval, de meados do séc. XIII, sobreviveu apenas parte da muralha e a Torre de Menagem. É uma torre airosa e bonita, da altura de um edifício moderno de oito a nove andares. Nas paredes, lisas e quase sem decoração, há algumas seteiras, em geral bastante estreitas. Há também, na fachada voltada para leste, varandas, em madeira. O topo da torre esta rodeado por merlões e ameias. Nos cantos, tem pequenos balcões, semicirculares, suportados por matacães.
Internamente é dividida em rés do chão (cisterna) e mais três pavimentos com tecto em abóbada de berço.

MONTALEGRE (Portugal): Torre de menagem.

MONTALEGRE (Portugal): Torre de menagem.

A torre de menagem, a norte, em estilo gótico, ergue-se a 27 metros de altura, coroada por balcões de matacães, mísulas e ameias pentagonais. É coberta por um telhado circundado por um caminho de ronda, as fachadas são cortadas por seteiras estreitas e desalinhadas e no andar superior tem quatro balcões de perfil curvo nos ângulos. O espaço interior da torre de menagem é composto por quatro pisos, correspondendo o primeiro à entrada, com pavimento em granito e escadas em madeira para aceder ao segundo piso, coberto por uma abóbada. O terceiro piso apresenta pavimento em granito e uma escada de acesso parcialmente embutida no piso anterior. O quarto e último piso apresenta corredores de acesso aos sete balcões e um alçapão para aceder ao caminho de ronda.

MONTALEGRE (Portugal): Castelo de Montalegre

MONTALEGRE (Portugal): Castelo de Montalegre

O castelo de Montalegre encontra-se situado num local outrora habitado sucessivamente por lusitanos, romanos, suevos e visigodos. Foi edificado no séc. XIII e reedificado em 1331 e conserva, das obras do tempo de D. Afonso IV, a Torre de Menagem. Esta torre, de 27 m de altura, encontra-se rematada por ameias pentagonais e o andar superior está rodeado de matacães e mísulas alongadas.
As preocupações com esta fortificação justificavam-se com a necessidade de defesa da fronteira, do reino de Portugal, de que esta região fez parte a partir da independência e que ao longo de séculos foi ameaçada por Castela.
Por volta de 1385, o castelo foi submetido pelas forças de D. João I, que o doou ao Condestável, D. Nuno Álvares Pereira. Depois de 1640, com a Guerra da Restauração da independência portuguesa a estrutura defensiva foi modernizada para utilizar artilharia.

Subscribe to Arte Medieval