PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

Pormenor do tímpano central, com relevo do Cristo em majestade acolitado por dois anjos.

PONTE DA BARCA (Portugal): Pormenor do tímpano lateral sul do Mosteiro de Bravães.

PONTE DA BARCA (Portugal): Pormenor do tímpano lateral sul do Mosteiro de Bravães.

Temos aqui o cordeiro místico, toscamente desenhado cruzado por uma cruz patada com pé, envolvido em dupla arquivolta decorada por filete perlado e bosantes.

PONTE DA BARCA (Portugal): Porta norte da Igreja de Bravães.

PONTE DA BARCA (Portugal): Porta norte da Igreja de Bravães.

De arco quebrado sobre pés-direitos e ombreira exterior com folhas em que se descobre no tímpano, estilizada, a Árvore da Vida no meio de dois animais.

PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

O templo de Bravães é, com certeza, um dos mais importantes monumentos românicos portugueses.
No interior, a nave é corrida por friso enxaquetado, com quatro frestas ladeadas por colunas com capitéis e impostas decoradas por motivos vegetalistas e geométricos apoiando arcos plenos. Sobre o pórtico axial dupla arquivolta e tímpano com nó de Salomão, encimado por vão cego, possivelmente uma fresta. Cobertura em madeira. Arco triunfal decorado por friso com leões e folhas, colunas com capitéis e imposta corrida esculpida; bases com grifos. É ladeado por dois frescos representando Martírio de São Sebastião e a Virgem, de pé, com o Menino nos braços. Encima-o rosácea esculpida. Capela-mor percorrida por friso enxaquetado, com três frestas e cobertura de madeira.

PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

A igreja notabiliza-se, sobretudo, pelo «(…) seu portal, voltado a ocidente, constituído por cinco arquivoltas recamadas de motivos figurativos e geométricos, avul­tando, depois, no tímpano, o relevo do Cristo em majestade acolitado por dois anjos. Os colunelos que sustentam as arquivoltas encontram-se, por sua vez, esculpidos de alto a baixo – nos capitéis, nos fustes e nas bases –,sendo de referir pela sua raridade no panorama do nosso românico, as figuras humanas que aparecem em dois fustes, frente a frente.»

 

PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

A Igreja ou Mosteiro de Bravães constitui, sem dúvida, uma das igrejas românicas mais interessantes da Ribeira Lima e um dos mais notáveis monumentos do concelho de Ponte da Barca. Tem planta longitudinal, composta por nave única e capela-mor rectangular, mais baixa e estreita, com sacristia anexa a Norte e Volumes articulados com coberturas diferenciadas em telhados de duas águas.
Ao que tudo indica, o primitivo mosteiro foi fundado por D. Vasco Nunes de Bravães, provavelmente ao redor de 1080, data apontada por Figueiredo da Guerra, há mais de cem anos, mas ainda não sujeita a crítica convincente, uma vez que, desse edifício, nada chegou aos nossos dias.
A obra do século XII, que se conserva na generalidade, não está isenta de problemas de datação e de identificação. Tem-se atribuído a promoção da campanha ao prior Egas Mendes, falecido em 1187 (e cuja lápide funerária se conserva na parede a ladear o portal Sul), mas desconhece-se por volta de que ano se iniciaram os trabalhos, nem se, em algum momento da segunda metade do século XII ou viragem para o XIII, o estaleiro se viu obrigado a paralisar. Ferreira de Almeida entendeu que, nas primeiras décadas de Duzentos, uma nova igreja reutilizou elementos da anterior, mas também é possível que os trabalhos tenham decorrido normalmente ao longo de mais de meio século, de nascente para poente e sem interrupções prolongadas.
À primeira fase de obras pertence o arco triunfal, datável dos meados do século XII. Os seus capitéis cúbicos, decorados com duas ordens de folhagem (melhor conseguido o do lado Norte), apresentam semelhanças com a cabeceira de São Cláudio de Nogueira, datada de 1145. As suas aduelas e os frisos da arcada e das impostas são também elementos que apontam para uma obra a rondar os meados do século, evidenciando o marco artístico bracarense da campanha.

Subscribe to Arte Medieval