GUIMARÃES (Portugal): Padrão do Salado.

Foi erguido no século XIV por iniciativa de Afonso IV de Portugal para comemorar a vitória na Batalha de Salado, em 1340. O soberano participara nesta batalha em apoio ao enteado Afonso XI de Castela, auxiliando-o a defender-se de uma armada muçulmana.
Alpendre de planta quadrangular aberto, constituído por 4 arcos quebrados lavrados, assentes em colunas com capitéis lavrados, encimados pelo escudo Real. Os arcos, sobrepujados por empena, limitam uma cobertura em abóbada de granito. Abriga um cruzeiro assente num soco circular de dois degraus. O cruzeiro policromado representa Cristo Crucificado de um lado e a Virgem Mãe sob baldaquino do outro. Num plano inferior no fuste da Cruz: 4 esculturas, representando São Vicente Apóstolo, São Filipe Mártir, São Torcato e o Anjo da Guarda.

Info:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Padrão_do_Salado
http://www.monumentos.pt/Site/APP_PagesUser/SIPA.aspx?id=764

GUIMARÃES (Portugal): Paço dos Duques de Bragança.

GUIMARÃES (Portugal): Paço dos Duques de Bragança.

Foi mandado construir em 1420 pelo conde de Barcelos, D. Afonso, filho bastardo de D. João I. O desenho do paço inspirou-se fortemente nas grandes casas senhoriais francesas. Entre 1937 e 1959, foi alvo de profundas obras de restauro e reedificação com resultados algo polémicos sobre os critérios adotados relativamente à sua reconstituição.
Atualmente, o paço está convertido em palácio-museu.

 

GUIMARÃES (Portugal): Interior da Igreja de São Miguel do Castelo.

GUIMARÃES (Portugal): Interior da Igreja de São Miguel do Castelo.

Trata-se de uma vetusta construção românica, com uma planta formada por dois rectângulos desiguais.
A fachada mostra um portal de volta perfeita e com tímpano liso; duas fiadas de cachorros decoram as cornijas.
Nas paredes abrem-se pequenas frestas de iluminação.
No interior existe uma pia baptismal, onde, segundo a tradição terá sido baptizado D. Afonso Henriques.
O pavimento lageado assenta num cemitério romano-visigótico.

e-cultura.sapo.pt/

GUIMARÃES (Portugal): Castelo de Guimarães

GUIMARÃES (Portugal): Castelo de Guimarães

A construção primitiva, possivelmente em terra e madeira, foi edificada entre 959 e 968, pela condessa Mumadona viúva do conde Hermenegildo Mendes, para proteger o seu mosteiro e a povoação local das invasões normandas. Mais tarde, o conde D. Henrique remodelou o castelo, em cuja alcáçova terá nascido D. Afonso Henriques, 1º rei de Portugal.
Da história deste castelo fazem parte vários cercos, como o efectuado pelos castelhanos no reinado de D. Fernando I, suportado vitoriosamente pelos sitiados, e durante a crise de 1385, em que demorou a rendição desta praça a D. João I.
O castelo é constituído pela imponente Torre de Menagem, que atinge 27 metros de altura, construída no tempo do primeiro monarca, e por oito torres quadrangulares que no seu conjunto rodeiam aquela torre, protegem os panos de muralha e flanqueiam as entradas. A muralha ameada apresenta uma planta aproximadamente pentagonal. Parte destas obras deverão ser do tempo de D. Fernando.

Fonte: http://www.e-cultura.pt/

GUIMARÃES (Portugal): Esculturas da fachada de Nossa Senhora da Oliveira.

GUIMARÃES (Portugal): Esculturas da fachada de Nossa Senhora da Oliveira.

Esculturas da fachada de Nossa Senhora da Oliveira a encimar o portal, onde assenta o janelão cego, em pedra de Ançã, com cinco arquivoltas decoradas por círculos enlaçados e anjos coroados por baldaquinos rendilhados que servem simultaneamente de mísula à figura seguinte, sobre pé direito com duas ordens de três estátuas, de cada lado, inscritas em nichos de arco trilobado com gablete e alfiz decorado. Na primeira ordem, figuras de corpo inteiro encimadas por cabeças humanas e, na segunda, bustos de frades e anjos segurando livros com inscrições.

GUIMARÃES (Portugal): Padrão do Salado e Igreja da Oliveira

GUIMARÃES (Portugal): Padrão do Salado e Igreja da Oliveira

A Igreja da Oliveira remonta ao século X, fundada pela condessa Mumadona Dias. Contudo, o templo actual é obra do final do XIV, estando a sua origem ligada aos acontecimentos da crise de 1383-85, em homenagem a Nossa Senhora da Oliveira a quem D. João I se encomendara antes da Batalha de Aljubarrota.
O Padrão do Salado (ou de Nossa Senhora da Vitória) foi erigido em 1342, no reinado de D. Afonso IV, para comemorar a participação portuguesa na Batalha do Salado. O monumento é constituído por um alpendre gótico em granito, que abriga um cruzeiro em calcário dourado.

Subscribe to Arte Medieval