Archive for the ‘Arquitectura românica’ Category

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja do Salvador (matriz de Unhão).

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja do Salvador (matriz de Unhão).

O portal apresenta quatro arquivoltas lisas de arco perfeito apoiadas em colunelos de fustes cilíndricos e oitavados com capitéis e bases decorados. O tímpano é vazado, formando uma cruz. A arquivolta exterior é emoldurada por um arco com decoração enxaquetada.

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja do Salvador, matriz de Unhão

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja do Salvador, matriz de Unhão

Unhão é um importante templo do Vale do Sousa, que deflecte bem a importância e o alcance do processo de povoamento desta região em pleno século XIII. Um primitivo templo foi sagrado pelo Bispo de Braga em 1165, mas o que hoje podemos observar corresponde certamente a uma reforma posterior verificada nas primeiras décadas do século XIII – ou a um continuado e lento processo edificador iniciado nesse ano de 1165?
É um templo de modestas proporções, de nave única e capela-mor retangular, fachada principal, orientada a Oeste, em empena truncada, coroada por pináculos e cruz sobre base decorada ao centro cujo principal motivo de interesse reside no seu portal principal. Este é inscrito em gablete e compõe-se de quatro arquivoltas de arco de volta perfeita, decoradas com motivos geométricos e vegetalistas (a exterior em forma de moldura de enxaquetados), que enquadram um tímpano preenchido com a típica cruz de malta, envolvida por cordagens entrelaçadas, vazada de tradição bracarense.

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja do Salvador (matriz de Unhão).

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja do Salvador (matriz de Unhão).

Templo de construção românica cuja sagração remonta a 1165. Todavia, os elementos românicos, agora patentes no edifício, apresentam características mais tardias. A fachada principal, alterada na época barroca, é encimada por pináculos e uma cruz.

FELGUEIRAS (Portugal): Tímpano da porta sul da Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).

FELGUEIRAS (Portugal): Tímpano da porta sul da Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).

Apresenta características do românico final. Os capitéis e impostas dos colunelos do pórtico principal são esculpidos com elementos vegetalistas e geométricos.

FELGUEIRAS (Portugal): Pórtico principal da Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).
FELGUEIRAS (Portugal): Pórtico principal da Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).

Apresenta características do românico final. O pórtico principal, encaixado em corpo avançado ligeiramente gabletado, tem arco de quatro arquivoltas ornamentadas, a exterior com curiosos elementos estrelados.

Tímpano do portal da Igreja de São Vicente Mártir com uma cruz vazada

Tímpano do portal da Igreja de São Vicente Mártir com uma cruz vazada.

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).

Segundo uma inscrição existente foi consagrada a S. Vicente em 1214. Apresenta características do românico final. Planta simples com corpo composto de nave única separada da capela-mor por grande arco triunfal.

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).

FELGUEIRAS (Portugal): Igreja de São Vicente Mártir (matriz de Sousa).

O pórtico principal tem quatro arquivoltas perfeitas assentes em colunas com bases e capitéis profusamente decorados com motivos geométricos e fitomórficos, ostentando o tímpano Cruz de Malta esculpida, sobrepujado por rosácea formada por círculos polilobados.

PONTE DA BARCA (Portugal): Pormenor do tímpano lateral sul do Mosteiro de Bravães.

PONTE DA BARCA (Portugal): Pormenor do tímpano lateral sul do Mosteiro de Bravães.

Temos aqui o cordeiro místico, toscamente desenhado cruzado por uma cruz patada com pé, envolvido em dupla arquivolta decorada por filete perlado e bosantes.

PONTE DA BARCA (Portugal): Porta norte da Igreja de Bravães.

PONTE DA BARCA (Portugal): Porta norte da Igreja de Bravães.

De arco quebrado sobre pés-direitos e ombreira exterior com folhas em que se descobre no tímpano, estilizada, a Árvore da Vida no meio de dois animais.

PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

PONTE DA BARCA (Portugal): Mosteiro de Bravães.

O templo de Bravães é, com certeza, um dos mais importantes monumentos românicos portugueses.
No interior, a nave é corrida por friso enxaquetado, com quatro frestas ladeadas por colunas com capitéis e impostas decoradas por motivos vegetalistas e geométricos apoiando arcos plenos. Sobre o pórtico axial dupla arquivolta e tímpano com nó de Salomão, encimado por vão cego, possivelmente uma fresta. Cobertura em madeira. Arco triunfal decorado por friso com leões e folhas, colunas com capitéis e imposta corrida esculpida; bases com grifos. É ladeado por dois frescos representando Martírio de São Sebastião e a Virgem, de pé, com o Menino nos braços. Encima-o rosácea esculpida. Capela-mor percorrida por friso enxaquetado, com três frestas e cobertura de madeira.

Subscribe to Arte Medieval